Cupim da semana!

Família: Termitidae
Subfamília: Nasutitermitinae


nasutissimus.jpg

O gênero Angularitermes possui seis espécies e, apesar de raras, elas são encontradas em boa parte da América do Sul. Seus ninhos podem ser subterrâneos, e eles podem viver no ninho de outras espécies (como por exemplo de Cornitermes), e ainda tem uma espécie amazônica que constrói ninhos na superfície do solo (epígeos), utilizando terra e geralmente o suporte de emaranhados de raízes.

Esse gênero é bem característico, pois seus soldados possuem um “nariz” (naso) muito grande, o que inclusive fez com que os autores se lembrassem do Pinóquio na descrição de uma das espécies: Angularitermes pinocchio. Mas a principal característica do gênero é que todas suas espécies possuem inúmeras glândulas na base do naso que são únicas dentre todos os cupins.

Ninho.jpg

As aberturas dessas glândulas foram inicialmente descritas como várias rugas. Algum tempo depois, outros pesquisadores sugeriram que seria um sistema de glândulas, mas não tinham certeza, uma vez que para saber, era necessário ter indivíduos preservados em substâncias específicas para o estudo detalhado das células (histologia) desses pequenos “buracos”.

Recentemente, pesquisadores puderam coletar algumas espécies de Angularitermes e fazer o estudo histológico, e comprovaram não só que os “buraquinhos” eram glândulas, mas era um tipo especial de glândula, com três tipos de células secretoras diferentes, algo que nunca tinha sido encontrado na cabeça de nenhum outro cupim.

Aparentemente essas “glândulas do naso”, como foram chamadas, secretam substâncias tóxicas para outros insetos, auxiliando os soldados na defesa da colônia. Entretanto, os experimentos para testar essa hipótese foram realizados com poucos indivíduos, e para confirmar a verdadeira função da glândula, mais experimentos são necessários.

glandula.jpg

Referências:

Carrijo, T.F.; Rocha, M.M.; Cuezzo, C. & Cancello, E.M. (2011) Key to the soldiers of Angularitermes Emerson with a new species from Brazilian Amazonia (Isoptera: Termitidae: Nasutitermitinae). Zootaxa 2967: 61-68. Link

Šobotnik, J.; Bourguignon, T.; Carrijo, T.F.; Bordereau, C.; Robert, A.; Křížková, B.; Constantini, J. P.; Cancello, E. M. (2015) The nasus gland: A new gland in soldiers of Angularitermes (Termitidae, Nasutitermitinae). Arthropod Structure & Development. https://doi.org/10.1016/j.asd.2015.08.006


Texto: Carol Croce


Compartilhe:

Facebook

By Tiago Carrijo
Published 30 Mar 2018 11:13