Cupim da semana!

Família: Termitidae
Subfamília: Apicotermitinae


flickr:8643923608

O gênero Ruptitermes é exclusivo da América do Sul, possuindo 13 espécies descritas. Eles comem folhas secas na serapilheira, geralmente buscando seu alimento de noite, ou finalzinho da tarde - quando o clima está mais ameno.

Na foto ao lado, alguns operários da espécie Ruptitermes arboreus buscando alimentando em um tronco de árvore na Amazônia.

Algumas espécies de Ruptitermes constroem ninhos subterrâneos conectados a montículos na superfície do solo, enquanto outras vivem como inquilinas em ninhos de outras espécies de cupins (por exemplo ninhos de Cornitermes cumulans). Apenas uma espécie amazônica é conhecida por construir um ninho arborícola, como esse da foto ao lado (Ruptitermes arboreus).

R.%20arboreus%20%284%29.JPG

Assim como outras espécies neotropicais da subfamília de Apicotermitinae, os Ruptitermes não possuem a casta do soldado, que foi perdida durante a evolução desse grupo. Dessa forma, os operários são também encarregados da defesa da colônia.

A defesa feita pelos operários é feita através de um par de órgãos especializados, que se localiza entre o tórax e abdome, e produz uma secreção pegajosa. A liberação dessa secreção é seguida da ruptura da parede corporal destes operários, liberando então essa “cola” nos seus predadores. Quando utilizam essa estratégia de defesa, esses operários acabam morrendo, e este isso são chamados de “cupins camicase”, pois praticam um verdadeiro comportamento suicida para proteger suas colônias.

Na foto abaixo, um operário com a parede do corpo rompida, e a secreção liberada (aquelas duas bolinhas laterais - em contato com o álcool, onde esse indivíduo foi preservado, essa secreção endurece).

estourado.jpg

Texto: @IagoBueno

Compartilhe:

Facebook

By Tiago Carrijo
Published 16 Feb 2018 12:56